Condições de Ingresso Mestrado

1.1. Condições gerais: De acordo com o nº 1, do artigo 17.º, do Decreto-Lei nº 74/2006 de 24 de março, podem candidatar-se ao acesso ao ciclo de estudos conducente ao grau de mestre (2.º ciclo):

1.1.1. Titulares do grau de licenciado ou equivalente legal;
1.1.2. Titulares de grau académico superior estrangeiro, conferido na sequência de um 1.º ciclo de estudos, organizado de acordo com os princípios do Processo de Bolonha por um Estado aderente a este Processo;
1.1.3. Titulares de grau académico superior estrangeiro, que seja reconhecido como satisfazendo os objetivos do grau de licenciado pelo órgão científico estatutariamente competente do estabelecimento de ensino superior onde pretendem ser admitidos;
1.1.4. Detentores de currículo escolar, científico ou profissional, que seja reconhecido como atestando capacidade para realização deste ciclo de estudos pelo órgão científico estatutariamente competente do estabelecimento de ensino superior onde pretendem ser admitidos.

1.2. Condições específicas:
1.2.1. Mestrado em Engenharia Civil: Licenciatura em Engenharia, preferencialmente em Engenharia Civil;
1.2.2. Mestrado em Engenharia Informática: Licenciatura em Engenharia, preferencialmente em Engenharia Informática;
1.2.3. Mestrado em Fisioterapia: Licenciatura em Fisioterapia;
1.2.4. Mestrado em Psicologia Clínica e da Saúde: Licenciatura em Psicologia;
1.2.5. Mestrado em Psicologia da Justiça: Vítimas de Violência e de Crime: Licenciatura em Psicologia.

1.3. Documentos para submissão da candidatura:
– Cópia do diploma ou certificado comprovativo do grau acadêmico (Ver Notas 2.1, 2.2);
– Cópia da certidão de disciplinas – Histórico escolar (Ver Notas 2.1, 2.2 e 2.3);
– Curriculum Vitae (Modelo Lattes ou Modelo Europass);
– Cópia do documento de identificação (RG e CPF);
Boletim de candidatura devidamente preenchido;
– # A candidatura apenas é validada após o pagamento da taxa de inscrição (Ver Nota 2.4).

2. Notas:
2.1. Não aplicável a ex-alunos da UFP;
2.2. Certidões provenientes de estabelecimentos de ensino estrangeiro:
– Originais ou fotocópias têm que estar autenticados pelos serviços oficiais de educação do respectivo país e reconhecidos pela autoridade diplomática portuguesa ou trazer a Apostila de Haia.
– A certidão de disciplinas deve também incluir a respetiva escala de notas utilizada na avaliação quantitativa, com indicação da nota mínima para aprovação.
2.3. Documentos acadêmicos ou profissionais devem ser emitidos em Português, Inglês, Espanhol ou Francês. Se emitidos noutra língua deverão ser traduzidos para Português, por um tradutor reconhecido pelas autoridades diplomáticas portuguesas.
2.4. Independentemente do resultado do processo de candidatura, não será efetuada a devolução da taxa de inscrição.
2.5. A abertura dos cursos obedece a um número mínimo de matrículas conforme definição da UFP.

3. Estatutos e Regulamentos da UFP
Estatutos UFP
Regulamento Geral das Faculdades
Manual de Elaboração de Trabalhos Científicos
Normas de Estilo para Teses de Doutoramento
Regulamento Disciplinar da Universidade Fernando Pessoa
Normas Regulamentares de Mestrado da UFP
Normas Regulamentares de Doutoramento da UFP
Regulamento do Programa de Pós-Doutoramento da UFP
Manual da Qualidade UFP